Entender o espaço onde vivemos é essencial em qualquer situação. Ao iniciar um empreendimento não é diferente. 

O mercado está cada vez mais competitivo e se você deseja começar um novo negócio é necessário diminuir incertezas e riscos, além de compreender melhor o seu mercado consumidor. Evitar erros é essencial e um pequeno deslize no cenário atual pode ser desastroso.

A pesquisa de mercado é uma ferramenta que atua com esse propósito. 

Continue lendo para saber mais sobre essa estratégia e como aplicá-la em sua empresa.


O que é pesquisa de mercado? 

Em linhas gerais, é no mercado onde ocorre a formação de preços através da lei de oferta e demanda. É um ambiente complexo e dinâmico, onde podem existir milhares de vendedores e milhões de compradores. 

De acordo com a Associação Nacional de Empresas de Pesquisas de Mercado (ANEP), a definição de pesquisa de mercado é:

A coleta sistemática e o registro, classificação, análise e apresentação objetiva de dados sobre hábitos, comportamentos, atitudes, valores, necessidades, opiniões e motivações de indivíduos e organizações dentro do contexto de suas atividades econômicas, sociais, políticas e cotidianas.

 

Ou seja, é a leitura do comportamento de consumidores, concorrentes ou fornecedores com a intenção de tomar decisões e solucionar problemas para a companhia.

As pesquisas de mercado podem ser divididas em duas categorias:

  • Pesquisa primária: é aquela realizada e analisada pela própria empresa, por um profissional contratado para esse serviço;
  • Pesquisa secundária: o serviço é terceirizado, ou seja, os dados são coletados e examinados por um profissional de fora ou empresa especializada.


Como a pesquisa de mercado pode me ajudar a começar minha empresa?

Conhecer a concorrência e a forma como o mercado consumidor se comporta é importante para não cometer erros (ou corrigi-los) logo na formação do negócio. 

Com a pesquisa de mercado será possível avaliar resultados de estratégias de marketing, identificar problemas e necessidades, dentre outras serventias. Alguns dos benefícios que a ferramenta proporciona são: 
  • Avaliar se um empreendimento é viável;
  • Testar ações de marketing;
  • Testar lançamento de produtos e serviços;
  • Explorar novos nichos de mercado;
  • Elaborar estratégias competitivas;
  • Corrigir erros internos.

7 dicas para realizar uma pesquisa de mercado


Defina o problema

A primeira coisa que se deve fazer é definir o problema de pesquisa. Isto é, deixar claro quais são os objetivos primários e secundários do trabalho.

Não se atentar na definição do problema pode comprometer o resultado da pesquisa. Portanto, apenas após ter isso estabelecido é possível avançar para as demais etapas do processo. 


Escolha o método de pesquisa


Feita a definição do problema, é hora de escolher o método de pesquisa mais adequado para conduzir a estratégia. 

Os principais métodos são:
  • Pesquisa em dados secundários: utiliza dados já levantados, como informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE);
  • Pesquisa quantitativa: tem por base a aplicação de questionários estruturados a um grupo de pessoas;
  • Pesquisa qualitativa: seu objetivo não é quantificar, mas sim conhecer melhor o pensamento de um grupo específico;
  • Etnografia: estudo de um determinado grupo social; 
  • Teste A/B: criação de duas versões de design diferentes para um mesmo produto visando escolher a melhor opção.


Defina a amostra da pesquisa

A definição da amostra de pesquisa está diretamente ligada aos dois pontos anteriores: o problema e o método. 

Duas questões são levadas em conta: a necessidade de precisão e a definição do público-alvo

Por exemplo, se uma empresa deseja realizar uma pesquisa quantitativa e na definição do problema foi constatada a necessidade de alta precisão, o número de participantes pode chegar a milhares.

Para definir o público-alvo é importante entender que os entrevistados devem ser um espelho da totalidade do nicho de mercado. Em uma pesquisa eleitoral, o público-alvo são os eleitores. Não faz sentido entrevistar menores de 16 anos. Entrevistá-los seria um desperdício de tempo e recursos.

Em geral, os dados utilizados para definir o público da amostra são: idade, sexo, escolaridade e classe social.


Desenvolva um questionário de pesquisa de mercado de qualidade


O questionário é a principal ferramenta de uma pesquisa quantitativa. É por meio dele que os entrevistados irão expressar as suas opiniões.

Ao construir o questionário, é importante utilizar perguntas objetivas e fechadas, priorizando, em relação à ordem das questões, aquelas com maior importância. 

Podem ser utilizadas diversas estratégias de construção de questionário, como a técnica da amostra dividida. Uma dica é incluir variáveis de classificação socioeconômicas, o que possibilita o cruzamento de dados em primeiro e segundo grau. 


Realize o pré-teste

O pré-teste é a revisão do questionário feita antes de liberá-lo para o campo de pesquisa. Problemas de compreensão, perguntas sem todas as alternativas ou grande extensão de tempo são problemas que um pré-teste pode solucionar. 

A intenção é solucionar essas adversidades o mais cedo possível sem prejuízos de tempo e recursos. 


Aplique sua pesquisa em campo 


Após definir o problema, escolher o método, definir a amostra, desenvolver o questionário e submetê-lo ao pré-teste, é hora de aplicar a pesquisa em campo. 

É importante lembrar que durante a aplicação do questionário é necessário ter atenção a alguns importantes detalhes, como: saber abordar o entrevistado e levar em conta o dia, horário e local mais convenientes.


Analise os resultados 


Feito todo o processo da pesquisa em si, chega o momento de analisar os resultados obtidos e é nessa etapa que se deve dedicar um maior esforço.

Uma análise feita de maneira superficial não levará a empresa a ter dados suficientes para tomar uma decisão sensata ou corrigir erros existentes.

Um analista deve realizar cruzamentos, entender o sentimento da população e se aprofundar nos dados da melhor maneira possível. 

Uma dica interessante é abusar dos recursos visuais para que a análise fique ainda mais clara e compreensível. Gráficos, mapas e tabelas são artifícios ideais para ajudar no entendimento, uma vez que nem todos dominam a linguagem de mercado. 

Deixe um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem

Receba novidades pelo nosso canal no Telegram!