Quando eu consertei um MacBook Pro com uma furadeira


Pode parecer história de pescador, mas juro que é a mais pura verdade!

Meu MacBook Pro é um notebook velhinho, de 2009,  mas que funciona muito bem. O que não andava bem nele era a bateria, que não aguentava ficar mais de dez minutos longe de uma conexão com a usina hidrelétrica mais próxima de casa.

Então, por que não trocar eu mesmo a bateria dele?

Li um passo-a-passo, fui até a Santa Ifigênia e como você pode ler neste artigo, eu havia feito uma cotação por email mas quando cheguei, a bateria era mais cara do que na cotação. Assim que mostrei o email em meu celular, o valor mais baixo foi feito pela vendedora.

Cheguei em casa e já parti para a desmontagem, pois a bateria do MacBook Pro é interna. Notei que junto com a bateria, veio uma simpática chave de fenda. Pensei que seria para desmontagem da bateria em si, mas ela abria apenas a carcaça do notebook.

Aí que veio a decepção: dentro do notebook, a bateria era fixada por outros parafusos. Só que a fenda do parafuso era de uma forma que eu nunca havia visto: era uma estrela de três pontas, igual ao logotipo da Mercedes-Benz.

Ou seja, não queriam que eu mexesse lá dentro.

Que chave abre isso?
Uma alternativa seria voltar a Santa Ifigênia e comprar uma chave só para isso, mas minha casa fica a 650km de lá, então essa alternativa foi descartada. A outra seria comprar uma chave no Mercado Livre, mas... quem disse que eu aguentaria esperar?

Vi diversos tutoriais online de como tirar parafusos espanados, mas o danado não saía de forma alguma.

Aí eu parti para a ignorância.


Usando uma parafusadeira com função de furadeira, que posso controlar a velocidade, destruí a cabeça dos parafusos. A bateria deixou de ficar travada no computador. Eles tornaram-se apenas pinos de sustentação.


E isso não atrapalhou em nada o uso do notebook.

A bateria anterior estava com 601 ciclos. A capacidade total de carga era de 675 mAh.
A nova, com 1 ciclo, tem a capacidade de 4.369 mAh.

Continuo usando ele diariamente, e a bateria paralela está durando cerca de três horas. Nesta bateria nova, paralela, comprada em agosto de 2017, paguei R$275.

Não é algo que eu recomendo que você faça. Depois que eu fiz isso, pensei no tanto de coisa errada que poderia ter dado.

E por isso que, depois dessa, resolvi ter uma micro-retífica, para poder fazer um trabalho sensível como esse, com mais precisão! 😀

Você já fez algo doido assim?
Adriano Matos
Adriano Matos

Adriano é Engenheiro de Produção e produz conteúdo por aqui há mais de 15 anos. "Não sou inteligente: apenas tenho acesso à internet". Você pode segui-lo em seu Twitter.

Nenhum comentário:

Postar um comentário