Dinheiro rasgado? Veja o que eu fiz para não ficar no prejuízo!


Dinheiro é algo que todo mundo gosta.

Inclusive meu cachorro. Eles nos comem muito dinheiro com ração, remédios, veterinários... mas não esperava que ele quisesse comer dinheiro literalmente.


Meu belo cão já havia devorado a metade de uma nota de R$2,00. Eu não liguei muito. Mas quando o fato se repetiu com uma nota de R$50,00... bom, aí a coisa fica mais séria.


A primeira reação é a de juntar todos os pedacinhos. Felizmente desta vez a brincadeira foi mais leve, e ele não despedaçou tanto a nota. Deu até para juntar os pedacinhos, apesar de um deles nunca mais ter visto a luz do sol...



Logo em seguida a gente pensa em uma forma de passar esse dinheiro para frente. Mas não precisa disso: Se a cédula tem um pedaço com mais da metade de seu tamanho, qualquer banco troca para você, sem problema algum. Ou seja, no meu caso, eu nem precisava ter juntado os pedaços.

Como eu não queria pegar fila, ter que explicar que "meu cachorro comeu meu dinheiro..." optei pela opção mais prática:


Depositei no caixa eletrônico em minha conta e já saquei.

Ainda fiquei na expectativa do banco aceitar minha nota. Mas logo depois, a confirmação na minha conta corrente que o dinheiro foi aceito.
Então, se algo acontecer com alguma nota sua, já sabe o que fazer! Se tem um único pedaço com mais de 50% da nota inteira, a troca em qualquer banco é garantida! Porém, se a nota estiver muito picotada, não adianta colar os pedacinhos, o banco não trocará.



Em outros casos, por exemplo, se a cédula ficou muito danificada por líquidos, comida por traças, a nota precisa ser enviada para o Banco Central analisar se a trocará. Você ficará com um recibo fornecido pelo banco, e terá que aguardar a resposta.

Mais informações sobre este assunto estão disponíveis no site oficial do Banco Central.
Tecnologia do Blogger.