Então eu fui pra Brasília e te conto como foi (Parte 1/3)


 
FAZER O QUÊ LÁ ?

Poucas pessoas NÃO me fizeram essa pergunta quando os contei o destino da minha viagem, aproveitando o feriado estadual (RJ) de São Jorge.

Sempre tive curiosidade de conhecer essa cidade que foi criada do zero, no meio do nada, e com toda aquela arquitetura incrível. Minha curiosidade pela cidade ficou mais atiçada quando li este especial, dos 50 anos da cidade, que conta cada detalhe desta construção gigantesca. Uma cidade planejada no meio do país.

É a terra dos corruptos ? Não diria isso, afinal estão lá os representantes eleitos em todas as partes do país. E lá tem muito mais gente honesta e trabalhadora.

Brasília é uma revolução, é algo grandioso, admirada em todo o mundo, menospresada pelos próprios Brasileiros, e patrimônio da humanidade. Se visitamos alguns museus para conhecer o passado de nosso país, Brasília é um museu a céu aberto da história do Brasil em andamento.

Como o post ficou muito grande, estou divindo em três partes, sendo esta a primeira, e nas próximas semanas trago as duas partes restantes.

Essa placa está em um ponto da cidade de Macaé/RJ que não faz o menor sentido...



No canto inferior esquerdo dá pra ver a cidade... clique na foto para ampliar.
Saimos Luciana e eu do aeroporto de Congonhas (SP) em direção ao cerrado no dia 21/04,  aniversário da cidade, às 12h40 e chegamos às 14h30, como planejado. Fomos ao balcão da locadora de carros e não tinha ninguém, mas em menos de um minuto apareceu a atendente já informando que "tinha chamado a van". Mais três minutos e a van chegou, e na locadora, grata surpresa : Havíamos reservado o carro mais simples, sem ar, mas a atendende nos presenteou com um modelo com ar.

Cansa só de pensar em atravessar uma avenida dessa !
 Brasília tem avenidas imensas e largas. Mas tem mais radar que qualquer cidade que você pense que tem muitos radares. Em Brasília, o GPS passa mais tempo apitando avisando do radar, do que indicando a direção.

Mais radares do que qualquer coisa ! - via Maparadar.com
 Também é curioso ver que realmente os carros param quando o pedestre põe o pé na faixa e faz sinal com a mão. Fiquei com medo de não reparar quando alguém pedisse passagem, mas esse perigo não existe, pois as faixas são sinalizadas também com placas. Além dos radares não deixarem que trafeguemos a mais de 60 km/h. Falando nisso, se você for visitar a cidade, saiba que você vai precisar de carro. A cidade é grande, e os lugares são bem afastados.E assim que você entra na cidade, passa por uma placa que avisa : "Não costumamos buzinar".

Como viajamos na hora do almoço, estavamos famintos, e em uma cidade desconhecida, o lugar mais rápido e fácil de arrumar um lugar pra comer é em um shopping. Olho no GPS, e Brasília tem MUITOS shoppings. Saí de um, tropeça no outro. Ele nos indica o Brasília Shopping. E pra lá fomos.

Em Brasília, todos os edifícios precisam ter um diferencial.
Rodamos procurando a entrada do estacionamento comum mas... não encontramos. Na frente do shopping, do outro lado da rua, sem qualquer indicação, havia um estacionamento. Paramos lá e fomos comer. Enquanto comíamos, tivemos a simpática presença de um segurança que ficou ali plantado ao nosso lado todo o tempo.

Segurança particular
Então, para onde ir agora ? Já eram quase 17h... vamos à torre de tv, para vermos o tão famoso pôr do sol Brasíliense !

Ok, pega o GPS... sem bateria. Não tem problema, a gente liga no carregador e... nada.
Testamos outros aparelhos, mas realmente o problema era o carro. Ficar em Brasília sem GPS ou trocar o carro ? Voltamos à locadora, seguindo as placas para o aeroporto, e lá trocamos de carro.

Sábia decisão : como não estamos acostumados com o sistema de lá, no qual as ruas não tem nomes e sim números, sem ele estariamos ferrados ! Até encontrar o destino no GPS era difícil,  pois algumas ruas tinham o nome escrito por númeral, outros por extenso, e ainda tinha que escolher se era asa norte, asa sul, leste, oeste, sudoeste... pra onde ? Não sei ! A saída era olhar no mapa impresso aonde queriamos ir, procurar aquele local no mapa digital, e apontar "quero ir aqui ó".  Já era noite, mas mesmo assim subimos na torre de tv !

Bela vista noturna do Eixo Monumental

E enquanto estamos lá no alto, o que vimos ao lado ? O Brasília Shopping, aonde estavamos a poucas horas atrás... do lado !

A poucos metros de distância... no centro da imagem.
 Descemos da torre para visitarmos a fonte luminosa, que é a maior da América Latina. Ela projeta imensos jatos dágua, montando um show coreografado.

Essa não é a melhor foto da fonte. Esta galeria do UOL tem fotos que mostram melhor o espetáculo.
Depois de descer admirar a fonte, fomos ver os shows do aniversário da cidade. Caminhamos por três quilômetros até o local do show, mas ainda estavam para começar. Os próximos artistas demorariam para subir ao palco. Andamos mais um pouco e curtimos um show de balonismo.

O vento não permitiu que alcançassem vôo, então permaneceram em solo, piscando suas labaredas

Na volta, conhecemos a bela catedral, que é muito curiosa : eu tinha a imagem dela como uma catedral "pequena" :



Mas na verdade ela é subterrânea, com belas esculturas de anjos dentro dela.



Ao lado, uma bienal do livro. Demos uma olhadinha também.

E depois de tanta andar, estavamos mortos de fome novamente. Tinhamos andado bastante. Lembramos de ter visto um McDonalds ao lado da torre de tv, mas aonde estava ele que não aparecia? Andamos e andamos, pensamos até que teria sido uma miragem... mas finalmente encontramos. Lanchinho feito, já era tarde, então procuramos hospedagem para acordar cedo e conhecer a cidade no dia seguinte.


A famosa torre de tv, em sua versão diurna

No dia seguinte, voltamos para a torre de tv, pois ela seria o ponto de partida para as outras atrações. Mas as ruas estavam todas bloqueadas, pelo aniversário da cidade, então rodamos bastante até achar um lugarinho pra parar. Paramos em frente ao edifício do Banco do Brasil, e fomos direto conhecer aonde nossa presidente Dilma trabalha.

Um edifício marcante para ser fácil de encontrar o carro depois ...


Andamos, andamos, e chegamos ao Palácio do Planalto :

Aqui é aonde a palavra final sobre nosso país é dada
As visitas são guiadas, então tinhamos que aguardar um grupo sair para conhecer as instalações. Felizmente no local tem cadeiras e água para aguardarmos. Depois de 30 minutos, entramos e conhecemos todas as instalações do Palácio, incluindo a rampa por onde o presidente sobe para receber a posse...
Veja os Dragões da Independência : eles ficam ali imóveis durante todo o tempo, durante 2hrs e descansam 4hrs. Todos os movimentos são "friamente calculados" e sincronizados : Se um precisar se coçar, ele avisa discretamente ao colega do lado, e outro também se coçará ! E você achando que só na Inglaterra existiam soldados que permanecem como estátuas !

... o salão aonde são recebidos seus convidados ...

 


 e o famoso púlpito.

 Mas apenas olhamos pelo vidro, só pode pisar ali quem tem autorização do presidente.

Conhecemos mais algumas salas do local, incluindo a sala de reunião suprema ...

A foto ficou ruim por que descobri que minha câmera está se auto-destruindo a sí mesma.
 ... e subimos ao gabinete da presidência para conhecemos o local aonde nossa presidente trabalha:

Antes de chegar à sala da presidente, passamos pela mesa de sua secretária. Não podemos entrar na sala, apenas olhar da porta. Achei curioso a presidente usar um PC all-in-one com tela touchscreen.


Termo de posse da Presidente Dilma
 

 Após a visita a sala da presidente, ficamos a vontade para rever outros locais de visitação pública. Ganhamos uma sacola com alguns panfletos que contam a história do palácio, além de alguns cartões-postais

Noiz nos elevador da presidência

De lá, partimos para o congresso nacional, que te conto na segunda parte deste post, que você lê clicando aqui.
Adriano Matos
Adriano Matos

Não sou inteligente. Apenas tenho acesso à internet!