Como é bom voltar a respirar tranquilamente

Foram mais de 15 dias de espera, mas na última Segunda-feira, eu fiquei novamente de cara com a fera. A psicóloga da clinica que iria dizer se eu sou ou não maluco, se eu posso guiar.

Na primeira vez que eu fui lá, fiz tudo direitinho, porém a psicóloga queria que eu refizesse um dos testes. Ela não quis falar qual, por telefone.

Após todos esses dias, estou lá novamente. Enquanto aguardo, encontro com mais três pessoas que estariam lá para refazer também um dos testes. Mas ninguém sabia qual era o teste. Quase uma hora de espera depois, ela chega. Ela chama um a um em uma sala para contar por que estavamos alí novamente. Todos voltaram por causa da prova com aquelas perguntas bizarras. Ela achou que nós não fomos honestos, e queria que a gente refizesse o teste.

O teste seria do mesmo estilo, mas com outras perguntas. O grande diferencial é que agora estava tudo muito mais bem explicado.

Dessa vez foram 100 afirmações, mas nem tão sem-noção quanto da outra prova. Eram afirmações como : "Se ao desligar o orelhão e a ficha cair, eu coloco a ficha devolta no orelhão", "Perco o humor facilmente", "Faço coisas que não faria em público", entre outras tantas. Claro que tinha algumas pra gente rir, como "Neste momento eu estou vivo", "O dia tem 24 horas", entre outras.

Se da outra vez eu estava super calmo, dessa vez eu estava muito nervoso. Tanto que eu não estava conseguindo fazer aquela "voltinha" no número dois, eu tive que escrever o dois "reto", como o de computador. Claro que pra descontrair a gente fez algumas brincadeira, como quando nos chamaram pra fazer a prova, até falei : Pode deixar que eu conheço o caminho, ou já na sala, estava brincando que eu não iria sentar no mesmo lugar da outra vez, a psicóloga já foi falando, "Olha a supertição" aí eu, preocupado com o resultado da prova já deixei claro : Não, não, é só brincadeira. Parece que ela entendeu.

Na outra vez, fui o primeiro a sair. Dessa vez, fiz questão de enrolar ao máximo, já que dessa vez eu poderia ficar o tempo que fosse necessário. Terminada a prova, começa o desespero. Teria que esperar até a tarde do outro dia para saber o resultado. Foi uma espera muito dura. O dia demorou para acabar. O outro demorava para passar... Eu tinha que ligar para a clínica... mas estava com medo. Até que eu resolvi acabar com toda aquela aflição e liguei... com certeza, o pior momento mesmo foi o intervalo entre eu ter perguntado sobre o resultado, a até o momento que a moça do outro lado da linha falou :

Você foi aprovado !


Caramba... nesse momento eu respirei alíviado. Era o que eu mais queria ter ouvido. No mesmo momento, pedi pro meu chefe uns 20 minutinhos para poder ir na clínica pegar aquele papel bonito, escrito "apto" e levar até a Auto Escola. Só de eu ter chegado com aquele sorrizão na Auto escola, já sabiam o que eu tinha ido fazer lá.

O que me deixou um pouco chateado é que de todos que refizeram o teste, só eu passei. O resto da galera vai ter que ir conversar com o psicólogo do Detran... O resto do pessoal queria a habilitação tanto quanto eu... Ou seja, essa psicóloga é brava mesmo !

Já foi marcado o dia da próxima luta : 12 de Junho, a prova teórica. O engraçado é que eu vou fazer a prova no colégio aonde eu estudava... Eu sabia que eu ainda ia ter que voltar lá... Se tudo ocorrer bem, dia 27 de Junho estarei fazendo a prova prática, e se tudo ocorrer muito bem, dia 02 de Julho estarei com a habilitação em mãos.

Mais um obstáculo superado, rumo à habilitação !

Isso serviu também para adicionar Psicólogos a lista das profissões que eu tenho medo, ao lado de advogados e jornalistas. Eles tem o controle sobre sua vida !
Tecnologia do Blogger.